terça-feira, julho 10, 2007

Estranho dia em que mudei...

Outro dia o vento me contou que eu estava indo contra ele. Sem perceber, caminhava em direção oposta ao fluxo de ar que em mim, tinha anteparo e obstáculo. Nesse mesmo dia , os pássaros me contaram, não com palavras inteligíveis, mas com seus próprios cantos, que para mim é que cantavam e que muitas vezes surdo me fiz e triste ficaram. O sol caminhava para o zênite, quando as árvores, quase que desesperadas, acenavam, e para mim desfilavam com tal singeleza e maestria, que para muitos, pareciam imóveis, mas se revelavam realmente bailarinas indizíveis e não captadas pelo que chamamos de momento descritível. No zênite, o astro rei gritou, gritou um grande brado que traduzido era: Olha a chuva de sol que sobre ti escoa! E molhado fique de sol, como nunca tinha percebido... Na direção do poente, meus olhos foram abertos a uma nuvem que como arauto do sublime, ovacionava a terra que eu pisava. E essa mesma terra, com uma pedagogia sinuosa mas diretiva, me ensinou que não devia mais pisar e sim, alisar e acariciar descalço, o solo que me empurra numa subida que nunca chega ao fim. No crepúsculo surpreendente, fechei meus olhos e as estrelas apareceram e acenaram para mim. Eram tão reais quanto as que do firmamento me admiravam. Foi quando percebi que viver é assimilar e converter o que se assimilou em sentimento , ação e pensamento construtivo. E na passividade da vivência morna e ausente de percepção cautelosa, percebe-se apenas problemas, obstáculos, doenças, dívidas, rancores, mágoas, contentamento débil, indiferença relacional e ego ferido, dentre outras coisas que não deveriam se tornar a bissetriz de nossa geometria. Foi quando cheirei o aroma da luz, peguei nos braços do ar e comecei a caminhar sobre as águas, nadando no solo que faz brotar alimento, rosa, e sombra para os dias difíceis de calor escaldante das nossas situações” calafriantes e inesperadas”!!! Eu mudei naquele dia...

2 comentários:

Mayara disse...

caraca! arrebentou! rs
sério... muito lindo este texto...
Bjs!

mayara disse...

tbm quero ver as coisas dessa forma...