sexta-feira, outubro 14, 2011

Apego versus desapego

A gente tenta fazer o que é certo. O que está correto. O que se pode ser feito naquele momento. O que é honesto e de bom testemunho. Temos pasciência com as coisas e pascientemente esperamos, quando o que desejamos ou precisamos está fora de nós, de nossas possibilidades ou conhecimento. Somos enganados e fingimos que não fomos...Mentem descaradamente para nós. Perdoamos, perdoamos, figimos que perdoamos, mentimos para perdoar, perdoamos voltando lá, perdoamos sem lá  mais voltar. Mas até onde isso vai? Até quando temos que cerder? Que forças são essas que atuam sobre nós que possuem o poder de nos fazer de boneco, de nos tirar do sério, de nos humilhar muitas vezes? Onde estão tais forças? De onde vêm? Espiritualisando diria eu agora, um monte de coisas. Mas não quero, não vou. Azar? Não creio, me recuso.  Castigo? Sou criancinha? Passei dessa fase. Mas então o que é? Subconsciênte, psicologicamente falando? De forma alguma. Não me embriago, não me entorpeço mais. Tô limpo. Tô puro. Não brinco mais com coisa séria.
Mas escrevendo o que acima escrevi, começo a entender, ainda que de longe o que Deus, esse sim eu quero sempre, me sopra enquando desabafo aqui. E Ele me sussurra: " Para mudar a sua vida, Eu preciso de uma coisa sua, desapego. Sim! Você ainda e quase sempre é muito apegado as coisas". " Você tem muito apego e fica até para mim muito difícil mudar a sua vida se você não saber e nunca procurou saber o que é desapegar-se desta vida, das coisa desta vida". "Eu, o Senhor, como já disse, não coloco remendo novo em pano velho, nem vinho novo, em vasilhame antigo." "Eu posso todas as coisas... Até ir de encontro ao que eu quero para você, em detrimento do que você quer para você mesmo." "Então, entre Eu mudar e você, Marcelo, desapegue-se você, e muda você, posto que em mim não nem sombra de variação alguma".
Pois bem gente, isso é que dar andar com Deus... De desapego em desapego, a gente se apega mais a Ele, fazendo o que ele quer, ainda que de início, ficando muito chateado da vida. E fazer o que Ele quer, muitas vezes precede  ser contariado, engado, humilhado, mal entendido, acusado, sacaneado... Mas assim a gente muda e se torna o que Ele quer que a gente seja, muitas vezes e quase sempre não sabendo bem o que é. Mas o que é ... é melhor se Dele vier. Marcelo.

sexta-feira, julho 01, 2011

O valor da Pérola e o preço da Graça - Articulado por Paulo Brabo

Em Mateus 13:44-46 está registrado que Jesus assim descreveu o reino do céu:




O Reino dos céus é como um tesouro escondido num campo. Certo homem, tendo-o encontrado, escondeu-o de novo e, então, cheio de alegria, foi, vendeu tudo o que tinha e comprou aquele campo. O Reino dos céus também é como um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo o que tinha e a comprou.






[...] Quando leio essas parábolas penso com frequência num jovem que tive o privilégio de conhecer. Sua “pérola de grande valor” era uma mistura de cocaína e heroína. Por isso ele sacrificou todo o resto – sua saúde, sua família, um teto e um lugar para dormir, todas as suas possessões mundanas, – até não ter nada além da roupa do corpo e um violão. Ele amava aquele violão: viva dizendo que era a sua alma. Mas um dia penhorou o violão: “penhorei a alma”.






Tendo só a roupa do corpo e o dinheiro que recebeu pelo violão, tudo que ele conseguiu comprar foi uma “vírgula” de heroína (um décimo de grama, apenas o suficiente para deixá-lo alto uma única vez). Tendo vendido finalmente sua “alma”, essa era sua pérola de grande valor.






É aqui que a parábola termina, mas na continuação da história do meu amigo algo inacreditável acontece. Tendo descolado a sua heroína ele entra num beco para transar a droga, e ali depara-se com outro amigo que também é usuário de heroína mas não tem dinheiro, nem drogas, nem nada valioso para vender. O que faz meu amigo com sua pérola? Ele a compartilha. Ele a divide – o tesouro pelo qual sacrificou todo o resto – e dá metade a seu amigo, sem qualquer esperança de retribuição. Ali, num beco da zona leste do centro de Vancouver, meu amigo engajou-se num ato de generosidade e de sacrifício pessoal superior em escala a qualquer outro ato de generosidade ou sacrifício pessoal que eu jamais tenha visto praticado – quer por parte de cristãos ou de quaisquer outros. Pense o que quiser sobre o uso de drogas: o valor da pérola para meu amigo e a extensão de seu sacrifício suplantam em muito qualquer outro ato de bondade jamais praticado por mim.





E a verdade é que a atitude de meu amigo não é exceção. Em comunidades de usuários de drogas e outras comunidades de gente pobre não é incomum uma estirpe de economia fundamentada na graça, em que se dá sem se esperar receber de volta.





Daniel Oudshoorn

Poser or Prophet

quinta-feira, junho 30, 2011

Tudo Mudou - Luis Fernando Veríssimo


E tudo mudou...
O rouge virou blush
O pó-de-arroz virou pó-compacto
O brilho virou gloss
O rímel virou máscara incolor
A Lycra virou stretch
Anabela virou plataforma
O corpete virou porta-seios
Que virou sutiã
Que virou lib
Que virou silicone
A peruca virou aplique, interlace, megahair, alongamento
A escova virou chapinha
"Problemas de moça" viraram TPM
Confete virou MM
A crise de nervos virou estresse
A chita virou viscose.
A purpurina virou gliter

A brilhantina virou mousse
Os halteres viraram bomba
A ergométrica virou spinning
A tanga virou fio dental
E o fio dental virou anti-séptico bucal
Ninguém mais vê...
Ping-Pong virou Babaloo
O a-la-carte virou self-service
A tristeza, depressão
O espaguete virou Miojo pronto
A paquera virou pegação
A gafieira virou dança de salão
O que era praça virou shopping
A areia virou ringue
A caneta virou teclado
O long play virou CD
A fita de vídeo é DVD
O CD já é MP3
É um filho onde éramos seis
O álbum de fotos agora é mostrado por email
O namoro agora é virtual
A cantada virou torpedo
E do "não" não se tem medo
O break virou street

O samba, pagode
O carnaval de rua virou Sapucaí
O folclore brasileiro, halloween
O piano agora é teclado, também
O forró de sanfona ficou eletrônico
Fortificante não é mais Biotônico
Bicicleta virou Bike
Polícia e ladrão virou counter strike
Folhetins são novelas de TV
Fauna e flora a desaparecer
Lobato virou Paulo Coelho
Caetano virou um chato
Chico sumiu da FM e TV
Baby se converteu
RPM desapareceu
Elis ressuscitou em Maria Rita?
Gal virou fênix
Raul e Renato,
Cássia e Cazuza,
Lennon e Elvis,
Todos anjos
Agora só tocam lira...
A AIDS virou gripe
A bala antes encontrada agora é perdida
A violência está coisa maldita!
A maconha é calmante
O professor é agora o facilitador

As lições já não importam mais


A guerra superou a paz


E a sociedade ficou incapaz...


.... De tudo.


Inclusive de notar essas diferenças.




(Luiz Fernando Veríssimo)

Resumo da carta aos gálatas

Paulo escreve não somente a uma igreja, mas sim a um grupo de igrejas que se situavam na região da Galácia, alertando-os que os mesmos estavam deixando o verdadeiro Evangelho, anunciado por Paulo, e estavam seguindo pessoas que queriam enxertar princípios da lei de Moisés à Salvação pela fé em nosso Senhor Jesus Cristo. Ele defende sua posição de Apóstolo de Jesus, chamado para ministério não por homens, e  sim pelo próprio Jesus. Reforça sua posição, contando-lhes de sua estada em Jerusalém, junto com os demais apóstolos que corroboraram seu chamado e ministério entre os gentios. Severamente os adverte, que se foi pela fé e não pelo comprimento das obras da Lei que receberam o Espírito Santo. Lembra-os que os que estão debaixo da Lei, são escravos da mesma, e o não cumprimento da mesma, leva-os à condição de malditos! Ensina-os que a Lei não é um fim em si mesma, mas a sinalização para o Redentor e que com a encarnação de Deus, a lei se tornou obsoleta e inapta para salvar, como na verdade nunca teve este fim. Como bom judeu e conhecedor do judaísmo, faz uma comparação entre as duas esposas de Abraão e seus respectivos filhos. Agar é a Jerusalém terrestre que gera filhos para escravidão e Sara a celestial, pois é Isaque que é gerado pela fé e por isso” filho da promessa” e não Ismael. Porquanto o que nos salva é a fé que depositamos no Filho de Deus, não as obras que praticamos. Paulo alerta sobre um evangelho que não é Evangelho, um que escraviza e não liberta. Parece-nos que se não fosse a intervenção do apóstolo, toda a Galácia estaria comprometida com a falência da verdadeira fé cristã, à medida que chegaram ao ponto de morderem-se e se devorarem uns aos outros por causas doutrinárias, impostas por homens, que relutavam em se desprenderem dos rudimentos do judaísmo. Exorta-os para que vivam dependentes do Espírito Santo, pois temos a tendência de sermos carnais, e somente através do Espírito é que temos a possibilidade de dizer não as obras da carne. Finalizando, afirma que agora, a circuncisão é o Novo Nascimento, ou seja, a nova natureza que é gerada em nós mediante a fé que nos é dada pelo Espírito de Deus, e que marca por marca, isto é, a circuncisão por circuncisão do prepúcio, é glória externa, e que para ele, a verdadeira circuncisão  é ser e viver de acordo com essa nova natureza, respondendo positivamente aos seus apelos e anseios. Dá graças e termina sua carta.

segunda-feira, abril 18, 2011

O que é realmente solidão?

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo...


Isto é carência.


Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar...Isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que

a gente se impõe, às vezes,


para realinhar os pensamentos...


isto é equilíbrio.



Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida...

Isto é um princípio da natureza.

 
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado..... Isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma


Retirado da Internet.

segunda-feira, março 07, 2011

Nina Simone e eu...

Pássaros voando alto, Deus  sabe como me sinto
Sol no céu, só Ele  sabe como me sinto
Briza passando, somente com fé para saber como me sinto
É um novo amanhecer e preciso de novas decisões, novas posições
É um novo dia, as coisas passadas e antigas ficaram, ficam e precisam ficar para trás
É uma nova vida, é um Vida Nova... Novidade de vida
Pra mim.
Não estou me sentindo bem
Talvêz seja a dor do nódulo retirado... Não sei bem.... Mas vai passar.
Peixe no mar,  mar onde toda vida começou...Deus  sabe como me sinto
Rio correndo livre, deviando dos obstáculos para não parar a caminhada rumo ao infinito do mar...
Deus,  você sabe como me sinto
Florescer na árvore, que cresceu daquilo que veio e vem do céu, mas nem por isso deixa de ter suas raízes fincadas no chão... Deus sabe como me sinto e sabe como é difícil recomeçar tendo que dizer adeus...
É um novo amanhecer
É um novo dia
É uma nova vida
Pra mim
E não  estou me sentindo bem mas sei que vou melhorar
O Domingo da Ressurreição vai chegar!
Libélula ao Sol,você sabe o que eu quero dizer, não sabe? Não não sabe, posto que só o Insondável pode saber o que se passa e o Infinito para preencher o vazio que se sente.
Borboletas se divertindo, você sabe o que eu quero dizer? Quero dizer que há alegria neste mundo, mas é tão fragil e efêmera como borboletas se divertindo.
Adormecer em paz ao fim do dia é o que mais quero e preciso!
Isso que eu quero dizer!
E este velho mundo  será um novo mundo quando o Sol não precisará mais brilhar, visto que a Glória do Cordeiro será a a fonte de toda a energia deste planeta.
E um corajoso mundo será criado, corajoso posto que será habitado por aqueles que permaneceram fiéis até o fim!
Pra mim assim será
Estrelas quando brilham,  é o passado que se vê, você sabe como me sinto?
Aroma do pinheiro,  é o aroma da Criação! Queria que você soubesse como me sinto
Oh a liberdade é minha, mas tenho tão poucos amigos para compartilhá-la
E eu sei como me sinto
Sinto falta de irmãos, amados, amigos que um dia comigo caminharam e eu com eles...

Marcelo Pinto.