sábado, outubro 04, 2008

Imprevisibilidade certa


Imprevisibilidade certa

Sinto falta de ar... De respirar e ter alimento do céu...
Quantas saudades... quantas dúvidas...
Querer. Sempre querer, mas nem sempre ter...
Mas querer...
Loucura... Maior loucura é não saber o que se quer e por isso querer demais.
Querer de menos... não querer...
Não saber querer, não poder querer...
E, por isso tudo, querer mal.
Loucura...
Saudades... Quantas saudades...
Quanta coisa a que a mente diz sim, mas o coração diz não.
E quanta coisa a que o coração diz sim, mas a mente não...
Vida, isso é vida..
Sem previsões... Sem pesquisas...
Somente sangue, suor, tombos e lágrimas.
E muita, mas muita estupefação!
Chove em dia sem guarda chuva
E faz sol de calça jeans.
Vem a dor e, quase sem percebemos, há sorriso.
A gente diz que não, mas dizendo sim.
E diz sim só para procrastinar o não.
Deixamos ir quem amamos
E, muitas vezes, desprezamos quem nos ama de verdade.
Verdade, quem a saberá?
O que é a verdade num coração que é extremamente passional?
Amei quem decepcionei...
Decepcionei quem amei e quem me amou...
Mais uma vez....
Muitas escolhas não foram suficientemente plausíveis
Para atender a todas as demandas de minha existência.
Deixei lacunas...
Abri buracos...
Pisei em voçorocas...
Apesar de ainda não ter quebrado pernas, muito tenho rastejado...
Mas sei que o sol ainda brilha acima das nuvens que escrevo.

Nenhum comentário: