terça-feira, dezembro 10, 2013

Conversa

Deus qual é sentindo de não se ter sentindo algum? Tudo bem... eu te matei... não foram nem os romanos nem os judeus... foi eu. Eu bati os pregos... Te coroei com minha dor... enfiei uma lança no seu lado.... Como pude? Sou pó... sempre pó.... Te assassinei em mim... Que furada hein Pai?! Então me ensina a valer a pena... me faz ver que não foi em vão que te matei.... Me ensina a estar junto de Maria e Madalena, ao invés de estar junto de Caifás.... Me dê  sentido para o homicida que sou... Te matar precisa florecer algo maior.... Sopra de novo, como fizeste no Éden....Naquele montinho de areia em criaste o homem. Me faz de novo... Faz eu ver com teus olhos, não com os meus... Não tenho nada para ter dar, fica com o coração que bate como um mistério.... Ele insiste... Meu coração tem mais fé do que minha alma! Ele bate na esperança que o Senhor o olhe! Pudera! A vida que nele há, dele não é mas é Tua. O meu coração Te conhece mas minha alma precisa caminhar contigo sem se confundir como os discípulos no caminho de Emaús. Eu te mato e ganho vida... O senhor não é justo... O senhor é amor como eu nunca vou entender, no mais aceitar pela fé.... Hoje sou nem barro, sou pó que precisa ser ouvido por Ti... Houve a oração de um monte de terra, que sou eu... Te amo Pai.

Nenhum comentário: