terça-feira, dezembro 19, 2006

É triste mas a gente se acostuma


É triste mas a gente se acostuma

É triste, mas a gente se acostuma
Se acostuma com o papel no chão,
Com poluição que nem em Cubatão.
Se acostuma com palavrão;
Nunca como via de solução,
Mas de desabafo e de desespero acalmado.
É triste mas a gente se acostuma.
Se acostuma com a falta de educação,
E sem educação, se acostuma a não ser gente,
E não sendo gente,
Qualquer ambiente é terra de pastagem.
A gente acostuma olhar, mas a não enxergar.
A comer sem digerir, a ter sede no meio do mar
Se acostuma ao invés de ter sonhos,
Sofrer com alucinação.
Se acostuma a ser violento ,
Não por necessidade de sobrevivência,
Ou por forças das circunstâncias;
Mas por fobia de não saber o que fazer,
Pois fazer tem ser aprendido,
E a gente se acostuma a se reunir,
E não aprender com ninguém.
Se acostuma a ser um ajuntamento,
E não um grupo evolutivo.
Se acostuma a quando fazer, fazer errado,
Pois o certo já não é maioria.
E acostumamos a sermos democráticos, sem sermos éticos.
É triste, mas a gente se acostuma.
Acostuma, a guardar, a guardar e a guardar ...
O que não é bom, o que corrói e dá angustia na alma,
E simplesmente a botar fora sem protocolo algum
Os singelos valores eternos,
Que o tempo nunca, jamais pode dizer que não são colunas e baluartes do que transcende a raça humana.
É triste, mas a raça,
Que deveria ser humana,
Se desumaniza à medida que quando ganhamos,
Ganhamos na “raça” e da raça.
Que ao invés de nos levar à vitória,
É simplesmente conquista,
Pois envolve na maioria dos casos,
A raça, dos “diferentes”, “inferiores”, “pobres” e “nus”
Dos “ conquistados”.
E nessa dinâmica, não há espaço para uma vida em comum,
E sim incomum.
É triste, mas até com isso,
A gente se acostuma.

Marcelo da Conceição Pinto.

2 comentários:

Ana Carolina Nobre disse...

Uow...Meu super professor...Super filosófico hein...
Gostei dos assuntos..abordam temas polêmicos,porém q raramente são citados..
Tah..Assumo q li, reli e reli, mas no final a gente entende..
* Bju Marcelo *

mayara disse...

quantas verdades...
este obre os nossos olhos a como somos pacivos em meio à tanta coisa errada, em meio à tanta loucura, que tem mesmo nos levado a desumanização...
vlw, pai! grande FOLÓSOFO! rs