domingo, dezembro 24, 2006

A tenda do Encontro com Deus

A Tenda do Encontro Êxodo 33:7-11
Muitas vezes encontramos Deus no meio da comunhão, quando nos reunimos para celebrá-lo. Com nossas canções e ações, estamos num só coro dizendo que Ele é Santo! Santo! Santo! Mas há momentos em nossas vidas, que sentimos a necessidade de sairmos do meio da agitação, e montarmos assim como Moisés, uma tenda fora do arraial, a Tenda do Encontro com Deus. È interessante que quando saímos para esse encontro divino, é o Senhor que nos encontra e começa a falar conosco. Parece que no momento da voluntariedade de nossos corações, Ele já começa falar. Nós saímos, mas é Ele quem nos acha. E nesse encontro, nesse diálogo espiritual, o amigo ouve mais do que fala. Moisés ouvia o Senhor na Tenda do Encontro. Nessa busca sincera ao Senhor, Ele se comunica, agindo sobrenaturalmente de modo muito natural, não permitindo assim, que fiquemos paralisados com o que vemos (a nuvem de fumaça se deslocava e ficava parada em frente à porta da tenda, quando o Senhor falava com Moisés), em detrimento do que Ele nos quer comunicar. Nuvens são sinais e não mensagens!
Essa saída para fora do arraial das situações, ainda que solitária, ela não se dá de maneira desapercebida, pois sempre que Moisés se levantava para ir até a tenda, o povo também esboçava reação. Estamos sempre sendo observados em nossas buscas ao Senhor. Isso é muito bom, pois podemos gerar com isso, uma forte influência em torno daqueles que nos cercam. O Encontro face a face, ou seja, intimamente, causa um desejo implícito de observação do homem em relação a esse posicionamento de fé. Nosso movimento em direção ao Senhor nunca passa desapercebido aos olhos do Mundo. Esse movimento salga e ilumina a vida daqueles que sem Jesus Cristo, vivem uma vida desgostosa e em trevas, apesar dos lampejos de alegria e de alguns raios solares que de maneira efêmera, iluminam e aquecem a vida do homem sem Deus.
Esse encontro face a face, não é exclusividade de alguns especiais ou selecionados, mas de quem quiser, isto é, basta o desejo sincero e a atitude de saída em direção ao encontro com Deus. Nas caminhadas, Deus nos encontra. No passado, o encontro se dava na tenda, hoje a tenda é o próprio Jesus de Nazaré. Nele, nós encontramos Deus e conhecemos o Pai, pois Ele é o Senhor. A porta da tenda é a Cruz do Calvário. Encontrar verdadeiramente essa Cruz, é encontrar O Caminho, A Verdade e A Vida. Alguns ficam somente à beira desse Caminho, não adentram por Ele, parecem que ficam extasiados com sinais, como a coluna de nuvem que ficava à porta da tenda, quando Moisés se encontrava com Deus, ficam parados nos milagres, e se ofuscam, não entendendo que a verdadeira e completa benção, não é o sinal que sinaliza para a tenda, e sim a presença de Deus em nós.
A vida de Jesus, assim como a de Moisés, nunca foi caracterizada pela ausência de movimento, o que permeava muitas vezes, era a velocidade com que isso acontecia, porém nunca havia a ausência da busca ao Senhor, não havia um recesso de oração em prol de planos particulares. O incômodo de se montar a tenda era notário na vida dos dois. Seja esse incômodo deflagrado pelo sofrimento do povo no cativeiro egípcio, ou pelo êxtase da adjacência à sarça que se ardia, mas não se consumia no monte Horebe, quando da chamada de Moisés para o ministério libertador e condutor; assim como a piedade e contrição de Jesus para com o povo que estava como que ovelhas sem pastor.
Hoje, evidenciamos o mesmo sentimento de Moisés. Saímos do Mundo para nos encontrarmos com o Senhor nos montes “Horebes” de nossas vidas, para só assim, sairmos da face a face de ouvir a voz de Deus, para caminharmos novamente ao Egito, isto é, para o Mundo, só que agora transfigurados pela glória do Senhor, como agentes para anunciar as boas novas do Evangelho, com palavras, gestos, instrumentos, canções; com a vida de maneira integral, como arautos do Altíssimo declamadores do: Está consumado! Está consumado! Toda culpa, condenação, preço de redenção que nos concede alívio, foi lançada na Cruz e agora é a vez do Reino de Deus e do senhorio de Jesus Cristo. Contemos essa História ao Mundo, fazendo a história do homem.
Marcelo da Conceição Pinto.




4 comentários:

Marcelo Pinto disse...

Redefini os comentários. Agora todos podem fazê-los!
Marcelo.

matheus disse...

Tio, não vou comentar sobre isso. Devo dizer-lhe, caso não saiba, que sou ateu.
Devo acrescentar tb que não vivo uma "vida desgostosa e em trevas". Pelo menos não por isso...

Você escreve muito bem... Quero dizer, vc não escreveu para pessoas como eu, mas para os seus. De qualquer forma, li o texto pelo menos umas 3 vezes...rsrsrs

um abraço

BuBa disse...

eeeeeeeeeeeeeee

ALELUIAAA consegui deixar um comentário nesse treko eee

ta tão bonitin o site , tão reflexicivo , tão nostalgia UAhUahUah


mas ta perfeito , pelo menos os textos estão bem filosóficos .


Bju


BuBaaaaaa

Júlia Beatriz disse...

aaaaa adoreei o texto!
o blog tah xou prof! x)

boas feriaas!
:**